24.8.10

RIMA

o viço da pele
no cio da carne
nada fere
tudo arde

a flor dos poros
no fogo da língua
abre os olhos
fecha a míngua

o susto do fôlego
na cicatriz da unha
traz o trôpego
afasta a munha

a trança das pernas
no umbigo do mundo
solta as feras
...

e as prende no fundo

3 comentários:

Léo Tavares disse...

sensacional, as always.

A Escafandrista disse...

adorei o blog, a poesia, tudo. parabéns!

hetera disse...

fogo que atrai e amedronta!