17.7.10

CALMARIA


Desdobro-me em paz
Para que recoste
O corpo esguio
E sonhe
O sonho que nunca entenderei

Por ser mistério
Entre bichos
E homens

Mas o olhar amendoado
Me diz
Tudo
Que preciso
Saber

É quando meu coração
Bate alvoroço
Puro

3 comentários:

Marcio Nicolau disse...

"Desdobro-me". Adoro quando se amplia a significação de um termo.

Marcio Nicolau disse...

Ah, amei a foto.

Lídia Benjamim disse...

Não é só a Frida das cores em guerra.
É também toda a inconsciência daquela que vive.
E vivendo, transforma os dias em mistério.