23.8.08

MEUS GRITOS


Qualquer dor
Faz-se poesia
No meu nó
Da garganta

Qualquer poesia
Faz-se nó
Nessa dor
De garganta

Qualquer nó
Faz-se dor
Na poesia
Da garganta

Qualquer garganta
Traz em si
Um nó de dor
De poesia

3 comentários:

Lídia Benjamim disse...

E todo nó se desfaz
assim que a poesia canta.
E encanta.

Ai, moça!

Jana disse...

Pow!
A-dorei.

:)

Anita disse...

Desculpe a invasão
mas preciso dizer
adorei as linhas

;)