25.8.08

ANJO AZUL (P/ meu sobrinho-afilhado Rodrigo)


Seus olhos
De cristal
Reluzem
Um doce
Que saliva
A boca

Seus olhos
Ternos
Me abraçam
Num abismo
De algodão

O vento
Faz cócegas

Seus olhos
Dizem
Me dizem:

Sou o anjo azul
Do seu coração

8 comentários:

Lídia Benjamim disse...

Que bebê mais fofo!
E essas bochechas oferecidas!!
Que delícia!!

Luciana disse...

Godynha,minha irmã de alma poética obrigada pela linda homenagem ao nosso 'Odigo digo ".
A mamãe aqui está emocionada!
Te amo muito irmãzinha.
Bjuss

michelle cunha disse...

tenho me alomentado de palavras
tenho regugitado tmb!

olha lá e me diz o q acha

beijos

Luiz Calcagno disse...

Tem um filme de um menino cego que gosta de leite, ele sabe que é branco, porque disseram. Então ele passa a acreditar que é sua cor predileta. Depois, com uma menina, vendo o por do sol, ele pergunta como é. Para explicá-lo de uma maneira precisa e não racinal, ela diz "É branco". Achei lindo. Como a poesia é sobre olhos, lembrei... =P Adoro a palavra ambar, que também é cor, e também está relacionada. Além disso, você vê com os seus olhos para falar dos olhos do seu sobrinho. Que confusão.

michelle cunha disse...

as tuas palavras são como cocegas em mim, para se deleitar, rir, brincar

bjs, menina poeta

Karine R. Peixoto disse...

Taí... gostei dos poemas. De fato. Que bom, encontrar algo assim.

Jana disse...

Gostei também.
Simples sem ser simplório, como todo poema deve ser.

:)

olhares disse...

gente que coisa linda!!!