22.1.08

NOTURNOS


Ela me fala
Sobre seres
Noctívagos
Em seus naufrágios
Silenciosos
Onde o grito
Corta os ares
E balança o azul

Ela me fala
Sobre sonhos
Roubados
Em seus rastros
Arenosos
Onde o castelo
Costura os chãos
E finca o cinza


Todos
Aprendemos a morrer
De bruços
Com olhos de conjuntivite


Todos
Esquecemos de viver
Em pé

(Faltam convites)

Um comentário:

li benjamim disse...

Comecei bem!
ano com viagem, com descobertas, com saudade e, com um blog inteiro a devorar!
Você me inspira!
Sempre!